Atividades realizadas pelo CCFI em março e abril

Fraternidade – Humanitária (FFHI), em parceria com a Operação Acolhida, continua trabalhando junto às populações indígenas migrantes provenientes da Venezuela e da Guiana e com comunidades brasileiras no Centro Cultural e de Formação Indígena (CCFI) na cidade de Boa Vista, Roraima. A proposta do CCFI é estabelecer um espaço de convivência entre as diferentes etnias para que possam preservar sua identidade cultural, fortalecer suas próprias capacidades e, ao mesmo tempo, incentivar o desenvolvimento, fornecendo-lhes acesso a novos conhecimentos.

Atividades do CCFI

Programa de Formação Continuada para o Desenvolvimento (Pfcd):

No mês de março, iniciou-se o Programa de Formação Continuada para o Desenvolvimento, que tem como objetivo incentivar o desenvolvimento integral dos participantes por meio do conhecimento, do aperfeiçoamento de habilidades relevantes ao seu percurso e da inserção produtiva no mundo do trabalho, para que possam conquistar sua autonomia, assumindo responsabilidade e protagonismo na vida pessoal e na coletiva. O PFCD consta de três fases:

O PFCD consta de três fases
  • ENCONTRO INTERCULTURAL INDÍGENA TROCA DE SABERES SOBRE MEDICINA TRADICIONAL: O evento reuniu representantes indígenas Warao, Macuxi, Wapichana, Taurepang, Akawaio, Saterê Maué e Kariña, que tiveram a oportunidade de aprender a fazer sabonetes artesanais com argila e ervas.
Encontro intercultural indígena
  • REUNIÃO DE ARTISTAS INDÍGENAS: Três artistas indígenas se reuniram para interagir e trocar experiências sobre técnicas de pintura. Seus quadros serão expostos, como expressão de suas culturas, na Galeria de Arte a ser instalada na estrutura do CCFI.
Artistas indígenas
  • OFICINA DE CONFEÇÃO DE CALÇADOS: No dia 25 de abril, teve início a Oficina de Confecção de Alpargatas, com um monitor que é representante do projeto Kawarao e transmitirá seus conhecimentos aos interessados.
  • VISITA DA ORGANIZAÇÃO DE PROFESSORES INDÍGENAS: O presidente da Organização dos Professores Indígenas de Roraima (OPIRR), junto com os coordenadores regionais do estado de Roraima, visitou o CCFI para conhecer os espaços e iniciar parceria para a realização de capacitações e atividades conjuntas.

Atividades com Parceiros

  • RODA DE CONVERSAS: O CCFI sedia roda de conversas entre a Unesco e um grupo indígena, representado por homens, mulheres, gestantes, jovens e comunidade LGBTQIA+, com o objetivo de elaborar cartilha informativa sobre HIV/AIDS para o público indígena. A cartilha será ilustrada pelos próprios beneficiários.
  • ECONOMIA FINANCEIRA: O Museu A Casa do Objeto Brasileiro, ofereceu, como parte integrante do Projeto de Artesanato que desenvolve com indígenas Warao e em parceria com o Serviço Jesuíta a Migrantes e Refugiados, aulas de economia para as artesãs que fazem parte do Projeto.
  • INTEGRAÇÃO À COMUNIDADE: Liderado pelo ACNUR e pelo Serviço Jesuíta para Migrantes e Refugiados, o Programa Narunoko, com o objetivo de apoiar a estratégia de saída dos abrigos, iniciou as entrevistas com os interessados, visando identificar pessoas com perfis que se adequem aos requisitos para receber apoio, e, dessa forma, alcancem autonomia e integração social na cidade de Boa Vista- RR.
Programa Naruokono

Atividades Externas

  • DIA DO ÍNDIO: “ANNA-ESERU” é a comemoração do Dia do Índio que, no estado de Roraima, tem uma conotação especial pela forte presença de diferentes etnias indígenas. A Fraternidade – Humanitária (FFHI) aderiu ao evento levando um grupo de mulheres indígenas venezuelanas E’ñepa.

A participação do CCFI dá-se através da parceria iniciada em 2022 com a Secretaria do Índio do Estado de Roraima.

  • PARTICIPAÇÃO EM FEIRAS PARA GERAÇÃO DE RENDA:

Nos meses de março e abril, o CCFI continuou promovendo a participação em feiras realizadas no Palácio do Governo, na feira de rua “Toca da Bruxa”, na Secretaria do Índio e no próprio CCFI, todas na cidade de Boa Vista-RR.

  • VISITA AO MIRANTE EDILEUZA LÓZ: Como parte de sua programação,a primeira turma formada no curso de Português básico, fornecido pelo Centro Acolher com Português, realizou uma visita ao Mirante da cidade de Boa Vista-RR.

Preparação Laboral

Foram realizados serviços de preparação laboral (elaboração e atualização de currículo, carteira de trabalho digital, criação de e-mail, encaminhamento para vagas de emprego via e-mail) e de atualização do banco de dados dos atendimentos.

ÊXITO EMPREGATÍCIO

Fraternidade – Humanitária (FFHI) vem realizando no CCFI a preparação laboral e o contato com empresas na cidade, como parte do Programa de Formação Continuada para o Desenvolvimento (PFCD). Os indígenas beneficiários são formados tanto para o mercado de trabalho como para exercer a cidadania. Como resultado desse processo, no mês de abril, em parceria com a Visão Mundial e o Senac, cinco beneficiários foram empregados nas funções de repositor (a), zelador (a) e balconista de padaria em uma das grandes redes de supermercado de Boa Vista-RR.

Êxito empregatício

Artesanato / Empreendedorismo

  • ARTESANATO PEMON-TAUREPANG

 A etnia transfronteiriça Pemon – Taurepang expõe pinturas originais de grafismos feitas sobre fibras de buriti, pedras, madeira e cana, materiais provenientes da Venezuela.

  • COMUNIDADE E’ÑEPA

Mulheres da etnia E’ñepa elaboram e comercializam artesanato tradicional de sua comunidade, feito principalmente com sementes.

  • TIDA WARAO

A etnia transfronteiriça Pemon – Taurepang expõe pinturas originais de grafismos feitas sobre fibras de Durante a participação das empreendedoras na feira de rua “Toca da Bruxa”, o grupo de mulheres teve a oportunidadede divulgar um panfleto de apresentação dos seus produtos, bem como colocá-los à venda para o público presente.

  • FEIRA CULTURAL INDÍGENA “ABRINDO NOVOS CAMINHOS”

A Feira Cultural Indígena “Abrindo Novos Caminhos” aconteceu no CCFI no dia 30 de abril, reunindo artesãos e empreendedores indígenas da Venezuela, do Brasil e da Guiana para apresentações culturais tradicionais de suas comunidades e exposição de artesanato e produtos elaborados por suas próprias mãos.

Estiveram representadas nove etnias dos três países, que formaram um espaço de coexistência e integração local dos povos indígenas.

A programação incluiu um momento em que os artesãos empreendedores apresentaram tanto o seu produto como a história de suas etnias.

  • LIVE

CCFI facilitou a transmissão e participação de mulheres indígenas locais para o curso online gratuito promovido pelo Instituto Bexiga, de São Paulo, no qual lideranças indígenas femininas visibilizam seu protagonismo na sociedade urbana.

  • EMPODERAMENTO FEMININO

Participação das empreendedoras da marca de absorventes ecológicos Tida Warao (produzidos no CCFI) participaram de evento na sede do Exército de Salvação, em Boa Vista-RR, em homenagem ao Dia da Mulher. Houve uma roda de conversa que abordou os mitos e verdades sobre o uso de absorventes ecológicos, ocasião que possibilitou a venda de 50 unidades desse produto.

  • PARCERIAS E ADVOCACY

Desde 2021, a exitosa parceria com a Visão Mundial ‒ ONG com atuação em diferentes áreas em muitos países – tem rendido aos beneficiários indígenas cursos de Português, de Informática e de Costura e outras formações profissionalizantes.

  1. Articulação com RH de Goiânia-GO e Senac realiza o referenciamento de indígenas para entrevistas de emprego
  2. Apoio psicossocial em parceria com o Exército de Salvação para beneficiários do CCFI e comunidades indígenas
  3. Visita à Secretaria do Índio para a realização de trabalho conjunto em prol dos indígenas de diferentes etnias da Venezuela, Brasil e Guiana
  4. Parceria com Instituto Federal de Roraima (IFRR) para alfabetização e letramento em Português e introdução à Informática básica.