Relatório de atividades desenvolvidas no CCFI em maio e junho

O Relatório Bimensal produzido pela Fraternidade – Federação Humanitária Internacional (FFHI) traz as informações sobre as atividades realizadas no Centro Cultural e de Formação Indígena (CCFI), com sede na cidade de Boa Vista, Roraima, nos meses de maio e junho, em parceria com a Operação Acolhida.

Com foco em promover meios de vida e soluções duradouras para população indígena, as ações desenvolvidas atendem  indígenas refugiados e migrantes proveniente da Venezuela e da Guiana e de comunidades brasileiras e contribuem para a convivência entre as diferentes etnias e a preservação de suas identidades culturais, fortalecendo suas capacidades e incentivando o desenvolvimento de novos conhecimentos por meio de oficinas e capacitações.

Os cursos, oficinas e capacitações são oferecidos através de um programa de formação continuada, de acordo com a demanda e interesse dos beneficiários, por meio de parcerias e atividades conjuntas com diversas instituições, que visam trazer melhoria na qualidade de vida, emancipação social, geração de renda por meio de microempreendimentos, acesso ao mercado de trabalho, cooperativismo e associatividade.

As organizações que somaram esforços juntamente com a Fraternidade – Humanitária (FFHI) na realização das atividades são: Instituto Federal de Roraima (IFRR), SENAI, SENAC, IEL, Visão Mundial, Instituto Insikiran, Refúgio 343, Médicos Sem Fronteiras, Setrabes/RR, Inspire Rebecca, Passarela Alternativa, Exército de Salvação, FUPAD, Associação dos Migrantes Indígenas Roraimö (AMIR) e Universidade Federal de Roraima (UFRR).

Entre as diversas atividades desenvolvidas estão: oficinas (costura, sapataria, artesanato, medicina tradicional), capacitações (português, informática, empreendedorismo, atenção ao cliente, vendas, marketing), cursos profissionalizantes (padaria, corte e costura, corte de cabelo) e realização de eventos (feiras e exposições).

Exemplos de algumas atividades realizadas:

Curso de Libras: promovido pelo Refúgio 343, proporcionou um primeiro contato entre refugiados venezuelanos com surdez e a Língua Brasileira de Sinais (Libras), fomentando sua inclusão na comunidade surda e consequentemente na sociedade brasileira.

Curso Libras CCFI

Oficina Laboral: em parceria com a Visão Mundial, foram ministradas oficinas laborais, sobre os direitos e deveres trabalhistas, para beneficiários empregados e em processo, bem como realizados encontros para preparar os candidatos a vagas para entrevista de emprego, os quais mais tarde foram com êxito empregados. Serviços de preparação laboral seguem sendo prestados aos beneficiários. Abrangem elaboração e atualização de currículo, emissão de carteira de trabalho digital, criação de e-mail, conta digital etc.

Promoção de Saúde Mental e Fortalecimento de Base Comunitária: atividades lúdicas e conversas direcionadas foram a tônica do trabalho realizado pela equipe de saúde mental e psicólogas dos Médicos Sem Fronteiras em prol de grupos representativos de indígenas refugiados venezuelanos que vivem nos abrigos de Boa Vista – RR.

Curso, Planejamento de Futuro e Independência Feminina: Junto à Visão Mundial e Passarela Alternativa, realizou-se o curso de corte e costura, para não só aprender a confeccionar prendas e acessórios, mas fazê-lo de forma consciente e ecológica, considerando a reutilização e reciclagem dos materiais com o objetivo primordial de capacitar mulheres indígenas venezuelanas com vistas ao desenvolvimento como mulher independente, em âmbito profissional e pessoal, haja vista o curso ser permeado por atividades psicossociais, lúdicas e grupais direcionadas.

Para consolidação do curso, foi realizada uma reunião com as 15 estudantes que concluíram o curso de corte e costura. O encontro abrangeu avaliação do curso, planejamento das ideias de empreendedorismo de cada participante e encaminhamentos para a continuidade do processo. As ideias de negócios mencionadas foram as seguintes: absorvente ecológico, bolsas e necessaires, roupas infantis, reciclagem de roupas, leggings e roupas femininas (saias e vestidos).

Instalação Permanente de Arte Indígena: Em 10 de maio, foi inaugurada no CCFI uma galeria de arte permanente para a exposição de pinturas indígenas, divulgação das obras e facilitação da comercialização. Atualmente existem em mostra cinco obras da artista Nancy Flores e uma do artista Daniel Ramos Blanco.

Atendimento ao Cliente e Oficina de Vendas: Foram realizadas três reuniões de fortalecimento com as integrantes do empreendimento Tida Warao, nas quais se ampliou o conhecimento sobre as características, vantagens e pontos fortes dos absorventes ecológicos em relação aos descartáveis. Também foi desenvolvida uma oficina de atendimento ao cliente e promoção de vendas, envolvendo sete participantes dos empreendimentos Kawarao (alpargatas) e Tida Warao, com o objetivo de trabalhar as competências necessárias para a venda direta ao público.

Na Mídia: A Rede Amazônica, emissora de TV, subsidiária da Rede Globo, visitou o CCFI em 31 de maio e realizou matéria que abordou a crise venezuelana e como, por meio de acolhimento, formação e capacitação dos refugiados, a Fraternidade – Humanitária (FFHI) alavanca seu crescimento como ser humano e como profissional.

Inclusão: Novas oportunidades de inclusão foram consolidadas com o Setrabes/RR, que fomenta a participação de pessoas com deficiência (PCDs) e população LGBTQIA+ (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e transgêneros, queers, intersexuais, assexuais, outras siglas e identidades) no mercado de trabalho, assim como por meio do Banco de Oportunidades do Senac.

Apoio Psicossocial: Atendimento psicossocial, em parceria com professionais  do Exército de Salvação, para beneficiários do CCFI e comunidades indígenas.

 Visita à Comunidade Indígena Brasileira: Foi realizada visita à comunidade indígena Truaru da Cabeceira, em Roraima, de predominância étnica Wapixana, a convite das lideranças locais.

Número de Participantes x Atividades:

  • Oficina de Produção de Alpargatas: 6
  • Encontro Intercultural Indígena – Medicina Tradicional: 23 
  • Oficina de Atenção ao Cliente: 20
  • Programa de Formação Continuada para o Desenvolvimento (PFCD): 30
  • Oficina de Promoção de Vendas: 10
  • Feira Indígena Insikiran: 7
  • Feira de Artesanato e Festa Junina: 9
  • Cursos de Informática: 50
  • Português Básico e Intermediário: 40

Preparação Laboral

Os serviços de preparação laboral continuam sendo prestados aos beneficiários e abrangem elaboração e atualização de currículo, carteira de trabalho digital, criação de e-mail etc. Abaixo, tabela com a contabilização dos serviços efetivados:

Atividades desenvolvidas no CCFI

Vagas de Empregos

Nos meses de maio e junho, o Setor de Inclusão Socioeconômica realizou mais um movimento de sensibilização junto ao setor privado e Setrabes/RR, a fim de manter parceira com possibilidade de indicação de beneficiários selecionados para vagas de emprego. Foi assim que, após participarem com aproveitamento dos cursos de capacitação do PFCD e da Preparação Laboral que inclui educação financeira, treinamento para entrevistas de emprego etc., mais três beneficiários indicados foram empregados por uma grande rede de supermercados da cidade. Esse é o segundo grupo de beneficiários indicados pela Fraternidade – Humanitária (FFHI) que, em um espaço de dois meses, assume postos nessa mesma rede de supermercados. De cinco indicados, quatro adquiriram vagas e um figura em lista de espera, como mostra o gráfico abaixo:

Atividades desenvolvidas no CCFI