Trajetória de uma Missão

Mais de cinco anos da resposta brasileira à crise migratória venezuelana

Fraternidade – Federação Humanitária Internacional (FFHI) lançou nessa quinta-feira, às 20h, o documentário Trajetória de uma Missão, que celebra os mais de cinco anos de sua atuação na resposta brasileira à crise migratória venezuelana.

A organização foi a primeira a chegar na região, em 2016, para uma ação emergencial, que, diante da contínua demanda, passou a ser uma missão permanente.

Essa narrativa é tecida por meio de relatos de migrantes, refugiados e servidores humanitários que estão nos estados de Roraima e de Manaus, sonhando com um futuro melhor e mais acolhedor e trabalhando para oportunizar a milhares de cidadãos venezuelanos a reconstrução de suas vidas no Brasil.

Histórico da atuação da Fraternidade – Humanitária (FFHI) na resposta à crise venezuelana

Em 2016, sensibilizada pela crise migratória venezuelana no Norte do Brasil que começava a se intensificar, a Fraternidade – Humanitária (FFHI) enviou o primeiro grupo de servidores humanitários a Boa Vista. Foi assim que, no mês de novembro daquele ano, nasceua Missão Roraima Humanitária.

Desde então, diferentes etapas foram se sucedendo, e a Fraternidade – Humanitária (FFHI), por ter sido a pioneira nessa resposta, participou de todas as fases e segue trabalhando no aprimoramento da ajuda humanitária ao povo venezuelano. São mais de cinco anos de atuação ininterrupta.

De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), até o fim de 2022, haverá 8,9 milhões de migrantes e refugiados venezuelanos radicados em 17 países da América Latina, sendo esta uma das maiores crises de deslocamento do mundo. O Brasil é o quinto destino mais procurado por eles.

Desde o início da Operação Acolhida em 2018, mais de 70 mil pessoas venezuelanas já foram interiorizadas para 600 cidades dos 26 estados brasileiros.

Desafios de uma resposta humanitária: construindo soluções duradouras

O grande desafio de qualquer resposta humanitária, no mundo todo, é encontrar alternativas para inserção socioeconômica dos refugiados na comunidade de acolhida, para que, dessa forma, eles possam se libertar do assistencialismo e reconstruir as suas vidas de forma digna. Esse cenário levou ao caminho das Soluções Duradouras.

Buscando soluções duradouras em meios de vida, diversos cursos são oferecidos no Centro Cultural e de Formação Indígena (CCFI) para que os abrigados tenham condições de acesso ao mercado de trabalho e possam continuar suas vidas de forma independente.

Fraternidade – Humanitária (FFHI) vem estimulando especialmente o empreendedorismo, trazendo elementos para que os abrigados desenvolvam produtos de qualidade e possam se inserir no mercado de forma competitiva. A parceria com outras instituições, que também investem na construção de soluções duradouras para os refugiados, tem sido de extrema valia para que essa meta possa ser alcançada.

Ao longo destes mais de cinco anos da Missão Roraima Humanitária, a Fraternidade – Humanitária (FFHI) busca aperfeiçoar suas ações e expressar valores éticos, que despertem para a fraternidade e o bem comum. Nesta trajetória, tece caminhos de amor, solidariedade, serviço abnegado, cuidado e respeito ao povo venezuelano.